Programa Catalisador do Brasil/Planejamento 2012-2013/Parcerias

From Meta, a Wikimedia project coordination wiki
Jump to navigation Jump to search

O Programa Catalisador do Brasil se desenvolverá por meio de parceria com uma instituição local. Conforme apontado no planejamento da diretora executiva da Wikimedia Foundation, a fundação pretende estreitar o foco de suas atividades e apoiar o desenvolvimento dos projetos catalisadores por meio de grants e acompanhamento geral.

Inicialmente, a ideia era estabelecer uma filial da Wikimedia Foundation no Brasil, registrada junto ao Ministério da Justiça. Por uma série de motivos expostos no documento da diretora executiva [1], a Wikimedia Foundation está rediscutindo o modelo de atuação e submeteu ao Board of Trustees a proposta de substituir uma forte presença formal em outros territórios diferentes dos de sua sede e desenvolver, no lugar disso, parcerias que permitam o desenvolvimento dos programas por meio de parcerias com instituições que compartilhem nossa missão, com alguma presença institucional, mas principalmente promovendo atividades junto com outras instituições capazes de implementar programas e de participar do movimento wikimedia, de forma mais permanente no futuro. A proposta foi aprovada pelo Board of Trustees.

Para isso, a equipe do programa catalisador pretende elaborar um projeto de referência tanto para a Wikimedia Foundation como para as potenciais instituições parceiras, com sugestões e a colaboração da comunidade da Wikimedia no Brasil, bem como um plano de ação para poder levar, até dezembro, algumas propostas e possibilidades, bem como uma recomendação, a serem avaliadas pela diretoria executiva da Wikimedia Foundation em São Francisco.


Possíveis parceiros interessados[edit]

Ação Educativa[edit]

Conversas caminharam bem. Organização tem boa estrutura (física e de recursos humanos), estão muito interessados, comprometidos com acesso ao conhecimento e melhorias no sistema educacional brasileiro. Organização respeitada, bem estabelecida há 18 anos, com processos detalhados e consolidados de accountability (tanto financeira como programática). Alta capacidade e experiência em dialogar com múltiplos setores, lidar com comunidades, divergências e controvérsias. Estão dispostos a (e com vontade de) incluir o Programa Catalisador do Brasil em sua agenda como fizeram com outras redes e o Fórum Social Mundial, podendo abrigar o programa, apoiá-lo e estabelecer convergências de ações. Nós agregaríamos em experiência com comunidades online, articulação de redes, agenda do acesso ao conhecimento livre. Possuem inúmeros projetos na área de educação e diversas fontes de financiamento, garantindo estabilidade e perspectiva de futuro. São pouco familiarizados com a Wikipédia e outros projeto Wikimedia. Mas estão interessados e querendo aprender mais.

Veja mais sobre a Ação Educativa em documento preparado por eles mesmos para a Wikimedia Foundation

Conheça a Ação Educativa - site oficial

Registro da reunião com Anasuya em 22 de fevereiro de 2013

Associação de Software Livre (?)[edit]

Conversa pendente.

Associação Pietro Roveri pela Colaboração e Conhecimento Livres (APR-CCL)[edit]

Plena convergência de objetivos, missão e visão. Além disso, garantiria liberdade de atuação para WMF. Porém, 1) ainda não foi oficialmente aprovado como capítulo pelo Affcom; 2) não conta com estrutura, governança estabelecida, apoio administrativo ou jurídico, tampouco tem histórico e, embora seja transparente e aberta, não conta com procedimentos mais formais de accountability.

Coletivo Digital[edit]

Conversas caminharam bem. Estrutura bem menor que Ação Educativa (hoje são 10 funcionários, sendo 5 permanentes e 5 de projetos). Mas possuem larga experiência em inclusão digital com software livre desde 2001 (embora tenha sido fundado oficialmente em 2005 - mas seus fundadores vêm da experiência do Governo Eletrônico do Município de São Paulo entre 2001 e 2004, tendo à frente Sérgio Amadeu e Beá Tibiriçá). Lidam com plataformas online (Moodle), têm familiaridade com redes virtuais e bastante penetração no mundo do software livre. Referência consolidada no campo da inclusão digital, atuam na qualificação de instrutores de telecentros em todo o Brasil por meio de plataformas de ensino à distância e cursos presenciais, produzem amplo material para inclusão digital, produzem vídeos em software livre, documentam e compartilham conhecimento sobre a formação de conselhos gestores comunitários de telecentros e têm espírito ativista. Hoje desenvolvem 4 projetos: telecentros.br, rede de formação de instrutores de telecentros, intercâmbios sonoros e passaram a liderar a organização das Oficinas Nacionais de Inclusão Digital. Muito abertos a ideia de seu espaço ser ocupado não só por WMF, mas pela comunidade (embora casa não seja muito grande, promovem vários eventos, já tendo havido audiências inclusive com a atual Ministra da Cultura em seu espaço aberto, além de churrascos e eventos sociais).

Saiba mais sobre o Coletivo Digital

Saiba mais sobre o Coletivo Digital - site oficial

Registro da reunião com Anasuya em 22 de fevereiro de 2013

Intervozes - Coletivo Brasil de Comunicação Social[edit]

Conversas caminharam bem para pensar parcerias para atividades sobre conhecimento livre pelo Brasil. O Intervozes conta com uma boa rede de voluntários ativos em todo o Brasil (cerca de 15 estados ou mais). No entanto, há muitos motivos para não fazer parceria institucional: a) possível conflito de interesses (Oona é membro da organização); b) a Wikimedia não seria um projeto núcleo, preocupação central, já que a organização estabelece prioridades anualmente em assembleia e Wikimedia seria um projeto relativamente secundário e que ainda precisaria passar pelo processo de aprovação do conselho diretor com consulta ao pleno; c) processos decisórios muito detalhadamente definidos e próprios.

Organizações da Casa de Cultura Digital[edit]

Garoa Hacker Clube (que acabou de sair da Casa).[edit]

Com boa integração com a comunidade Wikimedia Brasil, formalizaram-se faz cerca de 2 anos e estão se mudando agora para um novo escritório. Querem muito fazer parcerias e colaborar com atividades-núcleo deles (nas palavras deles "desenvolvimento de projetos em software, hardware e segurança da informação e disseminação de conhecimento nessas áreas"), mas não têm condições e interesse em firmar uma parceria institucional que abrigasse a equipe da WMF, já que hoje eles não têm, e não querem ter, funcionários contratados. Trata-se de uma associação civil sem fins lucrativos só composta de voluntários.

Conversas também com Rodrigo Savazoni[edit]

dono de empresa (antiga FliMultimidia) que foi um dos fundadores da casa ainda em 2012. Apesar do interesse, uma fase de muitas mudanças estava em curso e não parecia ser o momento certo. No início de 2013 ele assumiu a chefia de gabinete da Secretaria Municipal de Cultura e seus próprios projetos, construídos em parceria com outras pessoas, também podem passar por mudanças.

Instituto Sociocultural Overmundo[edit]

Conversa rápida, apenas confirmando o não interesse em abrir novas frentes. Possível conflito de interesses também, por Oona ser membro e ter sido diretora. Mas o principal é que estão buscando encerrar projetos. E não começar novos e que dependam de muita energia e recurso humano.

Centro de Tecnologia e Sociedade (Escola de Direito na Fundação Getulio Vargas-Rio de Janeiro)[edit]

Centro, que representa Creative Commons no Brasil, é um centro de pesquisas e advocacy em direitos autorais e direitos de propriedade intelectual. Oona já trabalhou lá. Possui inúmeros projetos, com foco bastante grande em atividades relacionadas a direito e dentro de uma estrutura relativamente pouco flexível e com marca bastante forte (o que pode ser positivo, mas também eventualmente conflitante). Decisões em modelo Wiki podem enfrentar barreiras e dificuldades em face a outra estrutura formal menos comunitária. Ideal seria apostar na parceria via projeto Wikipédia na Universidade neste momento.

GPOPAI[edit]

Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas para o Acesso à Informação da USP-Leste. Conversas iniciais sem avanços. Mostraram-se interessados e disponíveis, mas alertaram para os desafios mediante grande estrutura burocrática da Universidade de São Paulo. De fato, para cada lápis comprado, há que se fazer Licitação. Contratar a equipe seria ainda mais complexo. Deixaram uma porta aberta se "precisássemos". Mas não creio ser o caso.

Fundação Lemann[edit]

Organização sem fins lucrativos, criada em 2002, pelo empresário brasileiro Jorge Paulo Lemann (em 2012 tornou-se o mais rico do Brasil e segundo mais rico da Suíca). Ele também é dono da Ambev (indústria de bebidas), Burger King, Americanas.com, Lojas Americanas, entre outras. [2]. Criou também a Fundação, sem fins lucrativos, que tem por objetivo melhorar a qualidade da educação pública no Brasil, tendo como foco o aprendizado dos alunos e o objetivo final de oferta de educação de alta qualidade para todos. Tentando marcar reunião desde novembro, mas nunca conseguimos agenda. Ainda não houve demonstração clara de interesse em uma parceria institucional. Parece-me possivelmente mais adequada para parceria pontual com o programa de educação.

Porto Digital[edit]

Recife. Hub de micro e pequenas empresas. Mas muito convergente. No entanto, parece mais abrigar empresas já existentes do que ter uma figura jurídica pra incubar um projeto como o Programa Catalisador do Brasil.

Associação Cultural Estudos Contemporâneos (ACEC)[edit]

Pouco conhecida institucionalmente, tem à sua frente Heloisa Buarque de Holanda, escritora, pesquisadora, professora, bastante articulada e realizadora de muitos eventos e projetos culturais. Suas parceiras de instituição também são bastante experientes e estão à frente de projetos exitosos, como a livraria Blooks, do Arteplex Rio de Janeiro. Trata-se de uma pequena estrutura jurídica que desenvolve projetos de interesse difuso, em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro, Secretarias de Cultura, empresas parceiras, organizações sem fins lucrativos. Conversa mais aprofundada poderá acontecer ainda. Houve demonstração grande de interesse por elas, mas diante dos avanços com as demais instituições de São Paulo, achei por bem encerrar uma fase de conversas para abrir novas, seja em torno de parcerias mais específicas/pontuais, seja em torno de parcerias institucionais.

Comentários, sugestões etc.[edit]

<References>

Universidades/Faculdades[edit]

  • FGV (?)
  • PUC-SP (?)
  • Unirio
  • USP (?)

Plano de ação[edit]

Outubro e Novembro[edit]

  • Elaborar um projeto ou mais projetos em detalhes com a participação da comunidade e das instituições parceiras
  • Dialogar com as instituições e apresentar as propostas

Dezembro[edit]

  • Levar propostas com projeto para Wikimedia Foundation

Janeiro[edit]

  • Definir e aprofundar diálogo com parceiro selecionado (ou apresentar ao Board a proposta?)

Ver também[edit]

Referências e notas[edit]