Estratégia/Movimento Wikimedia/2017/Direção

From Meta, a Wikimedia project coordination wiki
Jump to: navigation, search
This page is a translated version of the page Strategy/Wikimedia movement/2017/Direction and the translation is 79% complete.

Other languages:
العربية • ‎български • ‎বাংলা • ‎Deutsch • ‎English • ‎español • ‎français • ‎עברית • ‎हिन्दी • ‎hrvatski • ‎Bahasa Indonesia • ‎italiano • ‎Nederlands • ‎polski • ‎português • ‎português do Brasil • ‎русский • ‎српски / srpski • ‎svenska • ‎తెలుగు • ‎Tiếng Việt • ‎中文
Correct.svg Esta página é atualmente um esboço. Pode existir mais informações na página de discussão.

Administradores de tradução: Normalmente, os esboços não devem ser marcados para tradução.


Em janeiro de 2017, nós, membros do movimento Wikimedia, iniciamos uma discussão ambiciosa sobre o nosso futuro coletivo. Decidimos refletir além de nossos 16 anos juntos, e imaginar o impacto que podemos ter nas próximas décadas. Nosso objetivo era identificar uma direção estratégica comum que unisse e inspirasse as pessoas de todas as partes do movimento até 2030 e nos ajude a tomar decisões.

De discussões on-wiki, grandes conferências, pequenos encontros, entrevistas com especialistas, até pesquisa de campo, [1] o processo foi exaustivo, complicado e fascinante. Não demorou para confirmar que a maior força do movimento Wikimedia é o talento, dedicação e integridade de seus membros. Qualquer estratégica de sucesso precisa acomodar a diversidade de pessoas em nossas comunidades, incluindo nossos interesses específicos, motivações e contribuições. Alguns de nós escrevem artigos enciclopédicos. Alguns desenvolvem programas. Alguns de nós doam dinheiro, tempo, ou habilidades. Alguns organizam dados, fontes ou mídias. Alguns organizam eventos, advogam por reforma de direitos autorais ou remixam arte. Alguns são organizadores de comunidades, educadores ou wikignomos. Alguns são só pessoas muito curiosas. Alguns de nós são todas essas opções, e mais.

O que nos une não é o que fazemos; é o porquê nós fazemos.

Somos todos parte desse movimento por que compartilhamos a crença que o conhecimento livre faz o mundo um lugar melhor. Todo ser humano merece acesso ao conhecimento, e tem uma capacidade de participar em sua criação, organização e compartilhamento. Isso não é negociável.

Portanto, é natural que essa visão estratégica é a base para a direção que emergiu. A direção vai além entretanto, e nos convida a focar na infraestrutura que precisamos para alcançar essa visão.

Contents

Direção

Direção: O Futuro que Imaginamos

A direção estratégica do movimento Wikimedia para 2030 é se tornar as ruas, pontes e vilas que apoiam a viagem do mundo até o conhecimento livre. Nós, o movimento Wikimedia, forjaremos as ferramentas e construiremos a fundação para criar e acessar o conhecimento confiável em várias formas e cores. Nossas redes de pessoas e sistemas conectará com indivíduos e instituições para compartilhar conhecimento com padrões e estruturas abertas e apoiá-los na jornada até abertura e colaboração. Seremos um defensor de vanguarda e parceiro para aumentar o compartilhamento, organização e participação no conhecimento livre e aberto.

Como movimento, reuniremos através de comunidades, fortes, sustentáveis que nos motivam a contribuir. Acolheremos pessoas de todos os lugares para cuidar de campos de conhecimento que representam a diversidade humana. Ao fazer isso, contribuiremos com o progresso humano, e a uma compreensão maior do mundo e de nós mesmos.

Essa direção é construída a partir da maior força do nosso movimento, nossas comunidades locais. Encoraja que expandamos nossos horizontes e é construída a partir dos projetos e contribuidores existentes para adicionar novos conhecimentos e novas formas de participar. Nos pede para sermos ousados e experimentar no futuro, assim como fizemos no passado. Se mantém baseada na visão da Wikimedia de "um mundo em que todo ser humano pode compartilhar livremente da soma de todo conhecimento".

Até 2030, ainda não alcançaremos "a soma de todo conhecimento", mas tornaremos possível para que qualquer um participe conosco desse esforço.

Motivação: Por que iremos nessa Direção Estratégica

Aspirações: O que queremos

Nossa aventura coletiva começou como um experimento: um espaço de rascunho aonde qualquer um podia contribuir informação para inclusão em uma enciclopédia livre revista por especialistas.[2] A Wikipédia logo se tornou em muito mais que sua história de origem e hoje é considerada por muitos como uma fonte de informação[3] cujo papel é coletar conhecimento.[4] As comunidades Wikimedia agora representam ideais de liberdade de informação e progresso social alimentado pelo conhecimento livre para todos.[5][6] A visão do movimento Wikimedia descreve esse escopo expandido bem: "um mundo em que todo ser humano pode livremente compartilhar da soma de todo o conhecimento."[7] Além da enciclopédia, nossa aspiração comum possui três componente: criar um corpo de conhecimento que seja exaustivo, confiável, e de alta qualidade; fazê-lo de maneira participativa, aberta a todos; e envolver todos ao redor do mundo.

Forças da Wikimedia: O que não devemos mudar

A premissa original da Wikimedia é que o conhecimento é construído por pessoas, que são elas mesmas as bases das comunidades.[8] Colaboração de boa fé é a melhor maneira de criar conhecimento de alta confiabilidade e qualidade, e está no coração da cultura da Wikimedia.[9] A ideia de que qualquer um pode editar é tão radical que brincamos que só pode funcionar na prática, não em teoria.[10] Mas funciona: O que alcançamos em nossos primeiros 16 anos de existência é uma prova do sucesso dessa abordagem. As comunidades Wikimedia foram capazes de ir do nada para milhões de páginas, arquivos de mídia e itens de dados, em centenas de idiomas.[11] Além da web, as comunidades se auto-organizaram em grupos que estão defendendo os esforços do movimento ao redor do mundo. Todas essas abordagens são forças que precisamos preservar.

Limites da Wikimedia: O que precisamos melhorar

Ainda estamos longe de termos coletado a soma de todo o conhecimento. A maioria do conteúdo que temos é no formato de texto, artigos de enciclopédia não estruturados e imagens,[citation needed] que deixa de fora muitos outros tipos de conhecimento. Nossas comunidades atuais não representam a diversidade da população humana,[citation needed] o que criou vazios de conhecimento[12][13] e vieses.[14] Leitores frequentemente questionam a confiabilidade do conteúdo que criamos,[15] notavelmente por não ser preciso, não ser exaustivo, não ser neutro ou por não compreenderem como ele é produzido, e por quem.[16]

Em termos de colaboração, a participação nas comunidades Wikimedia pode ser desafiadora. A barreira de entrada baixa de nossos anos iniciais agora se tornou intransponível para novatos.[17] Algumas comunidades, culturas e minorias sofreram dessa exclusão mais do que outras.[citation needed] Nosso sucesso gerou uma quantidade gigantesca de manutenção e monitoramento,[citation needed] e nós temos enfrentado isso com ferramentas e práticas que afastou de nossa comunidade membros de boa fé.[18] Outros tipos de contribuições além de edição não são reconhecidos como igualmente valiosos,[19] e as estruturas de nosso movimento são frequentemente opacas e centralizadas com barreiras de entrada altas.[citation needed]

Além da Wikimedia: O que mudará ao nosso redor

Além dos desafios internos para o movimento Wikimedia, há vários fatores externos que precisamos levar em consideração para planejar para o futuro. Muitos leitores esperam formatos de mídia além de texto e imagens.[20] Querem conteúdo visual e que seja atualizado em tempo real, e que permita o compartilhamento social e conversas.[21] Há também muitas oportunidades para a Wikimedia preencher espaços na educação,[22][23] oferecendo materiais de aprendizado e comunidades.[24]

As populações que servimos também irão mudar: nos próximos 15 anos as línguas que serão mais faladas são principalmente aquelas que hoje carecem de bons conteúdos e comunidades Wikimedia fortes.[25] Similarmente, o crescimento populacional acontecerá principalmente nas regiões que a Wikimedia atualmente alcança a menor quantidade de usuários, como a África e a Oceania.[26] Demorará 83 anos para para países de baixa renda chegarem a educação média do ensino fundamental para o ensino médio.[27] As mesmas regiões enfrentam as maiores restrições a acesso a informações online.[28]

A tecnologia mudará dramaticamente: Automação (especialmente aprendizado de máquina e tradução) está mudando como as pessoas produzem conteúdo.[29] Tecnologia também pode ajudar a oferecer conteúdo mais relevante, personalizado e confiável,[30] mas precisa ser desenvolvida com cuidado.[31][32] Enquanto a tecnologia se dissemina por todos os aspectos da nossa vida, a infraestrutura da Wikimedia precisa ser capaz de comunicar facilmente com outros sistemas de conectados.[33]

Estruturas para o futuro

A análise das forças e limitações atuais da Wikimedia apresenta a imagem de um movimento moldado pelos seus anos iniciais. Para a Wikimedia permanecer relevante no futuro, precisamos melhorar e adaptar enquanto protegemos aquilo que nos define.

Quem somos, em nosso núcleo, é uma rede de comunidade usando ferramentas e estruturas para documentar e compreender o mundo em conjunto. Essas estruturas subjacentes podem ser sociais, técnicas, online ou offline e frequentemente uma combinação de todos. No movimento Wikimedia, estruturas são o que reúne indivíduos para formar comunidades para avançar o conhecimento livre. São a malha que nos conecta e os andaimes que tornam o nosso trabalho possível.

Estruturas permeiam todos as áreas do nosso movimento. Estruturas sociais são as funções que realizamos, os papéis que atuais, as políticas que seguimos e os grupos nos quais nos organizamos. Isto influencia as culturas que desenvolvemos em nossas sociedades em miniatura. Isto define quem aceitamos em nossas comunidades, como tratamos uns aos outros e como tomamos as decisões sobre o nosso movimento.

Estruturas de dados são o que precisamos expandir para para permitir novos formatos e tipos de conhecimento. Estruturas de confiança, tanto sociais quanto técnicas, são o que precisamos desenvolver para aumentar a confiabilidade de nosso conteúdo. Estruturas de acesso determinam quem pode alcançar o nosso movimento em primeiro lugar. Interfaces técnicas e parcerias são as estruturas que permitem a colaboração e troca de informação com outros sistemas e instituições.

Em um mundo que está se tornando cada vez mais conectado, investir em estruturas técnicas e sociais não é só um mecanismo de sobrevivência; é uma vantagem estratégica. É como garantimos nosso lugar na rede mais ampla de conhecimento, e nos tornamos uma parte essencial dela. É como multiplicamos o nosso impacto com recursos limitados.

É como nos tornamos as estradas, pontes e vilas que apoiam a viagem do mundo até o conhecimento livre.

Implicações: Nosso Destino até 2030

Até 2040, a Wikimedia será uma fundação universal para o conhecimento livre e participativo.

A infraestrutura para a liberdade: Empoderaremos indivíduos e instituições para participarem e compartilharem, através de padrões, plataformas e conjuntos de dados abertos. Vamos hospedar, negociar, compartilhar e trocar conhecimento livre entre instituições e comunidades. Lideraremos a defesa e seremos parceiros para aumentar a criação, organização e disseminação do conhecimento livre e aberto.

Uma enciclopédia e muito mais: Adaptaremos ao nosso mundo dinâmico oferecendo conhecimento das formas mais efetivas, em diversos formatos digitais, dispositivos e experiências. Adaptaremos nossas comunidades e tecnologia para as necessidades das pessoas que servimos. Enquanto incluímos novas formas de conhecimentos livres, buscaremos que esses projetos alcancem o mesmo sucesso que a Wikipédia.

Informação confiável e relevante: Continuaremos nosso compromisso de prover informação útil que seja confiável, precisa e relevante para os usuários. Integraremos tecnologias que apoiem precisão em escala e permitam maior conhecimento sobre como o conhecimento é produzido e compartilhado. Abraçaremos o esforço de aumentar a qualidade, profundidade, amplitude e diversidade do conhecimento livre, em todas as formas.

Até 2030, as comunidades Wikimedia serão apoiadoras, inclusivas e ofereceram oportunidades diversificadas de participação.

Uma cultura apoiadora: Criaremos uma cultura participativa que é agradável, recompensante e apoiadora para qualquer um que queira contribuir de boa fé. Praticaremos e encorajaremos colaboração respeitosa e o debate saudável. Desenvolveremos serviços que apoiem experiências positivas e diminuam o dificuldade da manutenção, para que as pessoas possam focar no trabalho agradável e criativo.

Formas diferentes de participação: Pessoas em todos os lugares sentem que tem um papel na promoção do conhecimento livre e aberto. A comunidade será definida de forma mais ampla para incluir várias formas de contribuição, de editores a doadores e organizadores.

Um movimento inclusivo: Refletiremos a diversidade de nosso mundo. Acolheremos e incluiremos pessoas em nosso movimento de uma grande variedade de origens, de idiomas, geografias, rendas, níveis educacionais, identidade de gêneros, religiões, idades e mais. Celebraremos e acolheremos nossas diferenças e oportunidades equitativas para liderança e representação na governança do movimento. Pessoas de todas as origens poderão encontrar um lar em nosso movimento com a oportunidade de contribuir como indivíduos ou parte de uma rede de grupos e organizações.

Até 2030, o nosso movimento será distribuído ao redor do mundo e adaptado aos contextos locais.

Servir pessoas em todos os lugares: Trabalharemos para garantir que o conhecimento livre esteja disponível aonde haja pessoas. Estenderemos a presença da Wikimedia globalmente apoiando tanto a comunidades existentes quanto comunidades em regiões do mundo mal atendidas como a Ásia, África e América do Sul. Quebraremos as barreiras sociais e técnicas impedindo as pessoas de acessarem e contribuírem ao nosso conhecimento compartilhado. Desenharemos programas e produtos para se adequarem aos contextos locais de forma a envolver novas comunidades e leitores, enquanto continuamente (re)avaliaremos nossas abordagens.

Localmente relevante e sustentável: Reconheceremos a força de de comunidades locais distribuídas diversificadas como ferramentas poderosas para adaptação e inovação e como contrapontos para influenciar a nossa neutralidade. Acolheremos parecerias locais e oportunidades de obtenção de recursos sustentáveis e alocaremos recursos globais de forma transparente, equitativa que apoiem a participação de todas as vozes. Compartilharemos nossas experiências locais e aprenderemos uns dos outros para informar nossas atividades globais. Equilibraremos autossuficiência e autonomia com as intenções e valores que compartilhamos.

O que vem depois

Em setembro de 2017, declararemos nossa intenção de trabalharmos juntos em direção a esse futuro. Nos comprometeremos a participar na próxima fase dessa discussão em boa fé e chegar a um acordo, até a Wikimania 2018, sobre papéis, responsabilidades, e organizações estratégicas que nos permitam implementar esse futuro.9

Nos comprometemos a colocar as necessidades do nosso movimento acima das nossas, e para achar estruturas, processos e recursos para o nosso movimento que nos permitam melhor ir para a nossa direção comum.

Veja também

  • Apêndice: Mais informações sobre o processo, pesquisa, e achados que levaram a esse resultado.
  • Um relatório dos achados está sendo escrito e muitas referências dessa página serão atualizadas para levar ao seu conteúdo.

Espaço de rascunho

In January 2017, we, the constituents of the Wikimedia movement, started an ambitious discussion about our collective future. We decided to reflect on our past sixteen years together, and imagine the impact we could have in the world in the next decades. Our aim was to identify a common strategic direction that would unite and inspire people across our movement on our way to 2030, and help us make decisions.

From on-wiki discussions, to large conferences, to small meetups, to expert interviews, to deep research,[1] the process has been exhaustive, messy, and fascinating. It didn’t take long to confirm that the greatest strength of the Wikimedia movement is the talent, dedication, and integrity of its members. Any successful strategy must accommodate the diversity of the people in our communities, including our particular interests, motivations, and contributions. Some of us write encyclopedia articles. Some of us develop software. Some of us donate money, time, or expertise. Some curate data, sources, or media. Some organize events, advocate for copyright reform, or remix artwork. Some are community organizers, educators, or wikignomes. Some are just very curious people. Some of us do all of the above, and more.

What brings us together is not what we do; it’s why we do it.

We are all part of this movement because we share a belief that free knowledge makes the world a better place. Every human being deserves access to knowledge, and has innate capacity to participate in its creation, curation, and sharing. That is non-negotiable.

Therefore, it is natural that this shared vision is the basis of the direction that has emerged. The direction goes beyond, though, and invites us to focus on the infrastructures we need to move closer to that vision.

Our strategic direction: Knowledge equity

The goal of the Wikimedia movement for 2030 is to make it possible for anyone in good faith to join us in our quest for free knowledge. Together, we will advance our world by creating knowledge that fully represents human diversity. Some of us will carry on creating and using content as we have done in the past. As a movement, we will go further: We will focus our efforts on the knowledge and communities that have been left out by structures of power and privilege. We will build fair systems for creating different forms of trusted knowledge. We will welcome people from every background to build strong and diverse communities. We will break down the social, political, and technical barriers preventing people from accessing and contributing to our shared knowledge.

Reasoning: Why we will move in this strategic direction

Aspirations: What we all want

Our collective adventure started as an experiment: a drafting space where anyone could contribute information for inclusion in a free encyclopedia reviewed by experts.[2] Wikipedia soon became much more than its origin story, and today it is considered by many as a source for information[3] whose role is to collect knowledge.[4] Wikimedia communities now stand for ideals of freedom of information and social progress fueled by free knowledge for everyone.[5][6] The vision of the Wikimedia movement describes this expanded scope well: “a world in which every single human being can freely share in the sum of all knowledge.”[7] Beyond the encyclopedia, our common aspiration has three components: creating a body of knowledge that is comprehensive, reliable, and of high quality; doing so in a participatory way, open to everyone; and engaging everyone across the globe.

Strengths of Wikimedia: What we shouldn't change

The original premise of Wikimedia is that knowledge is built by people, who themselves are the basis of communities.[8] Good-faith collaboration is the best way we know to create knowledge of high reliability or quality, and it's at the core of the Wikimedia culture.[9] The idea that anyone can edit is so radical that we joke that it can only work in practice, not in theory.[10] And yet, it does: What we have accomplished in our first 16 years of existence shows the success of this approach. Wikimedia communities have been able to go from nothing to millions of pages, media files, and data items, in hundreds of languages.[11] Beyond the web, communities have self-organized in groups and are advancing the efforts of the movement around the world. All those approaches are strengths that we must preserve.

Limits of Wikimedia: What we should improve

We are still far from having collected the sum of all knowledge. Most of the content we have created is in the form of long-text, unstructured encyclopedia articles and still images,[citation needed] which leaves out many other types of knowledge. Our current communities don't represent the diversity of the human population,[citation needed] which has created gaps of knowledge[12][13] and systemic biases.[14] Readers often question the reliability of the content we create,[15] notably because it is not accurate, not comprehensive, not neutral, or because they don't understand how it is produced, and by whom.[16]

In terms of collaboration, joining and participating in Wikimedia communities can be challenging. The low barrier of entry from our early years has now become insurmountable for many newcomers.[17] Some communities, cultures, and minorities have suffered from this exclusion more than others.[citation needed] Our success has generated an overwhelming amount of maintenance and monitoring,[citation needed] and we have addressed them with tools and practices that have turned good-faith community members away.[18] Other types of contribution beyond editing aren't recognized as equally valuable,[19] and the structures of our movement are often opaque or centralized, with high barriers to entry.[citation needed]

Beyond Wikimedia: What will change around us

In addition to internal challenges in the Wikimedia movement, there are also many external factors that we must take into account to plan for the future. Many readers now expect multimedia formats beyond text and images.[20] People want content that is real-time and visual and that supports social sharing and conversation.[21] There are also opportunities for Wikimedia to fill a gap in education,[22][23] by offering learning materials and communities.[24]

The populations we serve will also change: in the next 15 years, the languages that will be the most spoken are primarily those that currently lack good content and strong Wikimedia communities.[25] Similarly, population will grow the most in regions where Wikimedia currently reaches the least users, such as Africa and Oceania.[26] It will take 83 years for low-income countries to move their average school level from elementary to high school graduation.[27] The same regions face the worst restrictions to freedom of access to information online.[28]

Technology will change dramatically: Automation (especially machine learning and translation) is changing how people produce content.[29] Technology can also help offer more relevant, personalized, reliable content,[30] but it needs to be developed carefully.[31][32] As technology spreads through every aspect of our lives, Wikimedia's infrastructure needs to be able to communicate easily with other connected systems.[33]

A more just future

Stable and dynamic

continue and

infrastructure, service, utility, reliability

movement, hospitality, equity, representation

room for different people and organizations to contribute

Structural inequalities

Gaps and systemic biases

geography, context

The analysis of Wikimedia's current strengths and limitations paints the picture of a movement shaped by its early years. For Wikimedia to stay relevant in the future, we must improve and adapt, while protecting what makes us who we are.

Who we are, at our core, is a network of communities using tools and structures to document and understand our world together. Those underlying structures can be social, technical, online, offline, and often a combination of all. In the Wikimedia movement, structures are what brings individuals together to form communities that advance free knowledge. They are the mesh that connects us and the scaffolding that makes our work possible.

Structures permeate every area of our movement. Social structures are the functions we perform, the roles we play, the policies we follow, and the groups into which we organize. They influence the cultures that develop in our miniature societies. They govern who we accept into our communities, how we treat each other, and how we make decisions about our movement.

Data structures are what we must expand to support new formats and types of knowledge. Trust structures, both social and technical, are what we must develop to increase the reliability of our content. Access structures determine who can reach our movement in the first place. Technical interfaces and partnerships are the structures that enable the collaboration and exchange of information with other systems and institutions.

In a world that is becoming more and more connected, investing in social and technical structures isn't just a survival mechanism; It is a strategic advantage. It is how we ensure our place in the larger network of knowledge, and become an essential part of it. It is how we multiply our impact with limited resources.

It is how we become the roads, bridges, and villages that support the world's journey towards free knowledge.

Implications: Our destination by 2030

Together, we will advance our world by creating knowledge that fully represents human diversity.

Some of us will carry on creating and using content as we have done in the past.

As a movement, we will go further: We will focus our efforts on the knowledge and communities that have been left out by structures of power and privilege.

We will build fair systems for creating different forms of trusted knowledge.

We will welcome people from every background to build strong and diverse communities.

We will break down the social, political, and technical barriers preventing people from accessing and contributing to our shared knowledge.

What the Wikimedia movement will focus on

catch up

Fairness will be the underlying basis of .

urgency

advocacy, barriers

hospitality

We will become known, accessible, and attractive

full members of the movement

Our activities will be based on a fair distribution of resources. Our structures will rely on a just representation

fairness / fair

justice / just

relevance

We will assemble in sustainable communities that motivate us to contribute.

We understand the threats and urgency that some of them face, and the critical role that knowledge plays in . Therefore, we

We acknowledge the radically different situations of users and contributors,

We will broker alliances to access it across devices, interfaces, and geographies

This direction builds on our movement's greatest strength, our local communities. It encourages us to expand our horizons, and builds on existing projects and contributors to add new knowledge and new ways to participate. It asks us to be bold and experiment in the future, as we did in the past. It remains rooted in the Wikimedia vision of “a world in which every single human being can freely share in the sum of all knowledge.”

By 2030, we won't yet reach “the sum of all knowledge”, but we will make it possible for anyone to join us in this effort.

What will not be the primary goal of the Wikimedia movement

keep up

Many of our efforts will benefit all users and projects equally. The success that some of our communities have achieved so far is inspiring. Some of us will carry on creating and using content as we have done in the past. As a movement, we will go further and be intentional about catching up on

By 2030, Wikimedia will be a universal foundation for free, participatory knowledge.

The infrastructure for open: We will empower individuals and institutions to participate and share, through open standards, platforms, and datasets. We will host, broker, share, and exchange free knowledge across institutions and communities. We will be a leading advocate and partner for increasing the creation, curation, and dissemination in free and open knowledge.

An encyclopedia, and so much more: We will adapt to our changing world to offer knowledge in the most effective ways, across digital formats, devices, and experiences. We will adapt our communities and technology to the needs of the people we serve. As we include other forms of free knowledge, we will aim for these projects to be as successful as Wikipedia.

Reliable, relevant information: We will continue our commitment to providing useful information that it is reliable, accurate, and relevant to users. We will integrate technologies that support accuracy at scale and enable greater insight into how knowledge is produced and shared. We will embrace the effort of increasing the quality, depth, breadth, and diversity of free knowledge, in all forms.

By 2030, the Wikimedia communities will be supportive, inclusive, and offer diverse opportunities for participation.

A supportive culture: We will create a participatory culture that is enjoyable, rewarding, and supportive of anyone who wants to contribute in good faith. We will practice and encourage respectful collaboration and healthy debate. We will develop services that support positive experiences and lower the burden of maintenance, so that people can focus on enjoyable and creative work.

Different forms of participation: People everywhere will feel as though they have a role to play in advancing free and open knowledge. Community will be more broadly defined to include many forms of contributors, from editors to donors to organizers.

An inclusive movement: We will reflect the diversity of our world. We will welcome and include people into our movement from a wide variety of backgrounds, across language, geography, income, education, gender identity, religion, age, and more. We will celebrate and embrace our differences and equitable opportunities for leadership and representation in movement governance. People from every background will be able to find a home in our movement, with the opportunity to contribute as individuals or as part of a network of groups and organizations.

By 2030, our movement will be distributed around the world and adapted to local contexts.

Serve people everywhere: We will work to ensure free knowledge is available wherever there are people. We will extend the Wikimedia presence globally by supporting both existing communities and communities in underserved regions of the world, such as Asia, Africa, and South America. We will break down the social and technical barriers preventing people from accessing and contributing to our shared knowledge. We will design programs and products to match local contexts in order to engage new communities and readers, while continuously (re)evaluating our approaches.

Locally relevant and sustainable: We will recognize the strength of distributed and diverse local communities as powerful tools for adaptation and innovation, and as counters to influence on our neutrality. We will embrace local partnerships and sustainable resourcing opportunities, and allocate global resources in transparent, equitable ways that support participation of all voices. We will share our local experiences and learn from each other to inform our global activities. We will balance self sufficiency and autonomy with intention and values we all share.

What comes next

In September 2017, we will declare our intent to work together towards this future. We will commit to participating in the next phase of this discussion in good faith and to come to an agreement, by Wikimania 2018, on roles, responsibilities, and organizational strategies that enable us to implement that future.

We will pledge to put the needs of our movement above our own, and to find the structures, processes, and resources for our movement that enable us to best move towards our common direction.

Notas e referências

  1. a b Apêndice: Origem e processo
  2. a b w:History of Wikipedia (en) e suas referências
  3. a b Relatório síntese da Novas Vozes (julho de 2017): Hub para informações
  4. a b "A Wikipédia deve exercer um papel ativo na preservação do conhecimento." Relatório síntese da Novas Vozes (julho de 2017): O papel da Wikipédia no futuro
  5. a b Por que criar conhecimento livre? Relatório de estratégia do movimento
  6. a b "A Wikipédia deve exercer um papel ativo em divulgar conhecimento verdadeiro para o bem público." Relatório síntese da Novas Vozes (julho de 2017): O papel da Wikipédia no futuro
  7. a b "Visão - Meta". meta.wikimedia.org. Retrieved 2017-07-27. 
  8. a b "Wikimedistas acreditam que o movimento é construído ao redor de uma comunidade dedicada de leitores, editores e organizações que nos trouxeram até aonde chegamos hoje."relatório síntese do ciclo 2 (draft)
  9. a b Reagle, Joseph (2010). Good faith collaboration : the culture of Wikipedia. Cambridge, Mass.: MIT Press. ISBN 9780262014472. 
  10. a b Ryokas, Miikka: "Conforme a piada, 'O problema da Wikipédia é que só funciona na pratica. Na teoria, nunca poderia funcionar.'" Cohen, Noam (2007-04-23). "The Latest on Virginia Tech, From Wikipedia". The New York Times (in en-US). ISSN 0362-4331. Retrieved 2017-07-26. 
  11. a b "Wikistats: Wikimedia Statistics". stats.wikimedia.org. Retrieved 2017-08-04. 
  12. a b "A ausência de conteúdo local relevante é um desafio enorme na África." Relatório síntese da Novas Vozes (julho de 2017): Desafios para a Wikimedia
  13. a b Vazios de conhecimento e viés foram votados como a principal prioridade para o movimento na Conferências Wikimedia 2017, com a presença de 350 pessoas de 70 países, representando cerca de 90 afiliados, organizações, comitês e outros grupos. Wikimedia Conference 2017/Documentation/Movement Strategy track/Day 3
  14. a b "Em muitas regiões (especialmente aonde o reconhecimento da Wikimedia é mais baixo), pessoas valorizam e desejam conteúdo que fale para os seus contextos e realidades locais, mas tem dificuldades de o encontrar online ou offline. Para apoiar o desenvolvimento desse conteúdo, e para mitigar o viés ocidental, o movimento precisa refinar ou expandir suas definições de conhecimento." Apêndice: Para onde vai o mundo: Padrão 4
  15. a b "A plataforma aberta da Wikipédia faz com as pessoas questionem a sua veracidade e verificabilidade." Relatório síntese da Novas Vozes (julho de 2017): Desafios para a Wikimedia
  16. a b "Desconfiança da Wikipédia é uma percepção adquirida. Vem de uma falta de clareza sobre o que é(são) o(s) produto(s) e como o conteúdo é desenvolvido." Apêndice: Para onde vai o mundo: Padrão 11
  17. a b "Muitos novatos para o movimento sentem que as barreiras atuais para entrada são muito altas. A cultura de exclusividade percebida e a falta de apoio a novatos é desmotivante." Apêndice: Para onde vai o mundo: Padrão 7
  18. a b Halfaker, Aaron; Geiger, R. Stuart; Morgan, Jonathan T.; Riedl, John (2013-05-01). "The Rise and Decline of an Open Collaboration System: How Wikipedia’s Reaction to Popularity Is Causing Its Decline" (PDF). American Behavioral Scientist 57 (5): 664–688. ISSN 0002-7642. doi:10.1177/0002764212469365. 
  19. a b "Normas atuais sobre contribuições são voltadas a um grupo de funções bem restrito (edição domina). Pessoas de várias origens e habilidades querem adicionar valor em maneiras diversificadas e o movimento se beneficiaria de apoiá-los a fazê-lo." Apêndice: Para onde vai o mundo: Padrão 8
  20. a b "Visual, em tempo real e social não são só palavras da moda; pesquisas demonstram que são características de plataformas de conteúdo que jovens cada vez mais preferem." Resumo de oportunidades chave e achados da Reboot: Indonésia e Brasil
  21. a b "Comportamentos, preferências e expectativas para conteúdos estão mudando. Pessoas cada vez mais querem conteúdos que são em tempo real e visuais, e permitam compartilhamento social e conversas." Apêndice: Para onde vai o mundo: Padrão 5
  22. a b "Sistemas educacionais de baixo desempenho levaram pessoas a buscarem alternativas para aprender. Como resultado, muitas plataformas inovadoras de informação e aprendizado emergiram, mas elas ainda precisam de uma base de conteúdo de qualidade." Apêndice: Para onde vai o mundo: Padrão 14
  23. a b "Promover a educação" foi um tema importante que emergiu do primeiro ciclo das discussões comunitárias, especialmente na Conferência Wikimedia 2017, aonde foi votada como terceira mais importante prioridade para o movimento. Wikimedia Conference 2017/Documentation/Movement Strategy track/Day 3
  24. a b "A Wikimedia tem a oportunidade de construir uma comunidade apaixonada não só por produzir conhecimento, mas sobre ajudar pessoas a aprenderem. Trabalhando com parceiros diversificados e especialistas de conteúdos de nicho, organizadores e embaixadores." Apêndice: Para onde vai o mundo: Padrão 10
  25. a b "Os idiomas dominantes do futuro não são, na maioria, aqueles aonde a Wikimedia lidera em quantidade de conteúdo ou tamanho da comunidade". Appendix: Where the world is going: Pattern 3
  26. a b "Nos próximos 15 anos, espera-se o maior crescimento populacional em regiões (como África e Oceania) onde atualmente a Wikimedia tem seu menor alcance. Para servir a todo ser humano, o movimento deve prestar maior atenção a como servir a estas regiões". Apêndice: Para onde vai o mundo: Padrão 1
  27. a b Winthrop, Rebecca; McGivney, Eileen (2015-06-10). "Why wait 100 years? Bridging the gap in global education". Brookings (in en-US). Retrieved 2017-08-06. 
  28. a b "Freedom House". freedomhouse.org. Retrieved 2017-08-04. 
  29. a b "A tecnologia pode ser capaz de assistir em muitas das funções que os editores fazem atualmente. A automação (especialmente relacionada à aprendizagem de máquinas e tradução automática) está a mudar rapidamente a maneira em que o conteúdo é produzido. Isto cria oportunidades para os membros atuais da comunidade para encontrar outras maneiras de colaborar". Apêndice: Para onde vai o mundo: Padrão 9
  30. a b "As inovações tecnológicas (como a inteligência artificial, a tradução automática e os dados estruturados) podem ajudar a organizar e entregar conteúdo relevante, personalizado e confiável". Apêndice: Para onde vai o mundo: Padrão 18
  31. a b "Desenvolver e empregar tecnologia em formas socialmente equitativas e construtivas — e prevenir consequências negativas involuntárias — requer liderança planejada e vigilância técnica". Apêndice: Para onde vai o mundo: Padrão 19
  32. a b "O movimento deveria usar a inteligência artificial e a aprendizagem automática de maneira cautelosa para ajudar a incrementar a qualidade e a acessibilidade. O consenso entre os wikimedistas é que deveríamos manter nosso enfoque com prioridade na comunidade, e usar a inteligência artificial e outras tecnologias para reduzir trabalho repetitivo, não substituir aos voluntários, e melhorar a qualidade". Relatório síntese do ciclo 2
  33. a b "As tecnologias emergentes estão a revolucionar a maneira em que as plataformas são definidas e usadas. As tecnologias de maior impacto serão aquelas que alterem a plataforma de uma definida pela infra-estrutura técnica a uma criadora de ecossistemas". Apêndice: Para onde vai o mundo: Padrão 15